Arquivo | novembro, 2009
13 nov

Até pra melhorar a vida precisa dar um nó complicado primeiro pra gente desfazer.

Desde novembro tô estagiando. Sinceramente, no começo foi um pouco complicado… mas imagino que qualquer começo também seja, em qualquer lugar. Disso eu não tenho medo.

E eu aprendi muito nesse estágio, aprendi muito com o meu chefe. Sobre direito, sobre postura num ambiente de trabalho, sobre prática… até indiretamente ele me ensinou. É inspirador ver a forma como ele gosta de Direito, de estudar, o esforço dele em alcançar seu objetivo real (juiz federal). Enfim, aprendi muito muito mesmo lá.

E já faz 1 ano que estou lá. Posso dizer, inclusive, que fiz amigos!

E aí segunda teve uma prova num outro lugar pra um estágio, ganhando um pouco mais e trabalhando 2hs a mais. 50 pessoas fizeram a primeira fase. 8 passaram para a 2ª fase, inclusive eu. 2 pessoas foram chamadas para preencher as vagas, inclusive eu.

Eu tô muito orgulhosa disso, sabe. Tinha muita gente lá mais inteligente que eu, e eu sei disso. E EU passei! 😀

Aí hoje eu fui conversar lá com o boss.

E o horário não bate muito com a minha disponibilidade. Basicamente tenho que sair da faculdade e estar em meia hora lá. Sem almoço.

Hard.

A meu favor, ele disse que esse horário pode ser maleável. Entro mais tarde e saio um mais tarde. Não é o ideal, mas com certeza vale a pena.

Enfim… tuuudo isso pra dizer que eu tô melancólica de sair do meu primeiro estágio.

Meu primeiro emprego.

Minha primeira experiência de verdade.

O primeira primeira de muitas boas experiências. De outras tão gratificantes quanto.

Sorte! 😉

Anúncios
12 nov

Não sei ser como algumas pessoas que vivem apenas o hoje, sem se preocupar demais com o amanhã. As invejo, com certeza. Mas não sou nem um pouco com elas.

Sou ansiosa, angustiada por natureza. Sempre me preocupei com o futuro, em como vai ser amanhã, depois de amanhã, daqui 10 anos!

Eu sei que não é muito saudável… mas acho que de certa forma é uma maneira de ganhar  impulso nessa vida.

As coisas não estão fáceis em casa. O futuro cada vez mais incerto. Ou talvez eu finalmente tenha crescido o suficiente para perceber isso, para entender isso.

Isso assusta, mas devo guardar esse tipo de sentimento pra mim mesma. Já basta as preocupações de todos sendo anunciadas a todo o tempo.

Nessas horas me sinto aliviada por ter fé.

Apesar da ansiedade, da angústia, não me sinto desamparada. E sei que, seja como for, o melhor é que vai acontecer.

Só espero poder compreender.

 

8 nov

Tem dias em que tudo parece estar onde deveria. Esses dias são raros e, por isso mesmo, eu acho, duram pouco.

Na maior parte do tempo a vida parece uma bagunça. Nada está no lugar. Tudo poderia ser melhor… as condições, a sorte, a vontade, a vida, enfim. Mas não é. E não há nada a fazer a não ser lidar com isso… até porque se desligar do mundo é um barato que sai caro. Uma hora vai explodir na sua cara.

Então é assim que as coisas estão no momento: uma verdadeira bagunça. Ás vezes parece que eu dormi por tanto tempo e, agora que acordei, nada está mais como antes.

Talvez seja só eu. Lenta demais, sempre. Ás vezes é a vida… rápida demais, sempre!

Mas o fato é que aqui estou, não é?

Aqui estou… a dois anos de me graduar em Direito, com 21 anos, um estágio remunerado, muitas frustrações, algumas vitórias (têm mais gosto que as derrotas, anyway =D), 2 relacionamentos f**** etc etc etc… Uma vida! Não… não é uma “vida” simplesmente… eu tenho uma história. Já?!?

Provavelmente a hora e o sono já estão fazendo efeito sobre mim… mas uma vez li que a gente escreve melhor à noite, porque é quando nossos limites estão mais fracos e nos sentimos mais à vontade… ou alguma coisa do tipo.

Deu vontade de voltar aqui hoje. No meu cantinho. =)

É que ás vezes eu paro pra pensar  e fico um pouco assustada em como tudo acontece rápido… quer dizer, não só assustada… um pouco decepcionada por não aproveitar certas coisas como deveria e também feliz por ver que meus planos têm dado razoavelmente certo.

Nesses “momentos de pensamentos” gosto de poder desabafar sem ouvir julgamentos… gosto até de poder falar um monte de coisas incoerentes sem ninguém pra ficar me informando disso.